O Diário Oficial da União (DOU) se confunde muito com a história do Brasil colonial, pois as suas primeiras divulgações, foi relacionado aos fatos do Império à República, visto que, os primeiros atos normativos e administrativos foram criados pelo então Dom João, em 1808. Porém, após 54 anos, por meio da Lei Imperial 1.177, ficou definido quais seriam os tipos de documentos que seriam divulgados no Diário Oficial da União. Isto é, publicações como, a abolição da escravidão e a proclamação da república, foram anunciados nesse meio de comunicação. Houveram outros temas marcantes e impactantes da história do país que também foram divulgados, como a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e a implementação do Plano Real.

Embora o Diário Oficial da União tenha tido grande relevância desde o seu primeiro exemplar, sua oficialização só aconteceu em 1988, na Constituição Federal, que estabeleceu o princípio da publicidade dos atos da administração pública. Hoje, o DOU abrange publicações dos poderes Executivos, Legislativos e Judiciários, os quais têm a obrigação de fomentar a transparência de seus atos perante a sociedade. Nesse meio oficial do governo, são divulgados também decretos, leis, portarias, nomeações e exonerações, além de balanços patrimoniais, pronunciamentos oficiais, resultados de concursos, entre outros.

No entanto, com o avanço tecnológico, em 1997, a Imprensa Nacional disponibilizou a Seção I do DOU nos canais digitais. Porém, só na virada do século, os documentos passaram a ser publicados integralmente online. Essa digitalização do Diário Oficial não aconteceu somente no da União, mas também, do Estado e do Município e, todos os documentos têm a autenticidade garantida por meio de uma assinatura digital. Se o seu Administração Pública não contém essa funcionalidade, a Plenus é especialista nesse assunto. Para saber mais sobre esse tema, clique aqui e confira a importância do Diário Oficial Eletrônico.