Desde a década de 1990, as tecnologias ganharam espaço no cotidiano das pessoas, até porque, por meio delas, o indivíduo resolve todos os “problemas”, além de acessar às informações, entre muitas outras ações, ou seja, a mesma veio para facilitar a comunicação e gerar economia.

Nos anos 2000, o governo brasileiro começou a investir nesse modelo de informação, para melhorar a Administração Pública e, a partir daí, os processos só evoluíram, pois com a tecnologia, vieram outros facilitadores para o governo, mas acima de tudo, para as pessoas.

Fazendo uma breve retrospectiva, elementos como Diário Oficial (1862), canal de Ouvidoria (1988), Portal da Transparência (2004) e a Lei de Acesso à Informação (2011), só se aperfeiçoaram com a implementação da tecnologia no governo, já que houve o aprimoramento, otimização e o melhoramento dessas ferramentas, pois com a chegada da internet, as tecnologias proporcionam às organizações a possibilidade de migrar seus sistemas do manual para o digital.

Pegando esse gancho da migração de dados, o Diário Oficial também está nesse processo, por mais que sabemos que o método é lento e gradativo, mas muitas cidades estão apostando e implementando essa nova tendência. Se você tem dúvidas, porque mudar esse processo, do impresso para o digital, separamos alguns motivos para as instituições otimizarem esse processo.

Economia: A Administração Pública como um todo sempre requer mais segurança e economia em suas operações. Felizmente, o Diário Oficial Eletrônico pode proporcionar ambos os requisitos. A publicação em jornais e outros veículos de grande circulação pode pesar bastante no orçamento mensal de uma empresa ou instituição. Isso acontece porque, muitas vezes, as publicações são pagas de acordo com as palavras, páginas e tamanho geral do texto. Além disso, eventuais correções também são cobradas. No meio eletrônico, por outro lado, é pago apenas um valor mensal fixo, estando nele englobados serviços de segurança, alterações no texto e muito mais. 

Segurança: Meios digitais também são capazes de oferecer mais segurança às informações veiculadas. Isso é especialmente útil para órgãos como os governos municipais, que podem atestar a veracidade de uma medida oficial tomada, prevenindo futuros problemas com a Justiça. Todas as informações que compõem o Diário Oficial Eletrônico são protegidas por rigorosos protocolos de segurança. Além de proteger os dados de adulterações, esse sistema também garante que nenhuma informação será perdida, já que cópias são feitas regularmente. 

Transparência: A publicação no Diário Oficial Eletrônico, dessa forma, é uma maneira fácil, segura e econômica de manter a transparência das ações de uma empresa ou instituição pública. Cidadãos poderão checar as informações rapidamente por meio de dispositivos móveis ou computadores, tendo acesso a todas as informações mais importantes em apenas um clique. Se a sua empresa precisa publicar no Diário Oficial, você pode contar com o serviço do Diário Oficial-e, um dos mais tradicionais intermediadores de publicações na Imprensa Oficial.

Flexibilidade: O meio eletrônico, portanto, garante mais flexibilidade às publicações. Instituições podem editar atas, leis, editais, decretos e quaisquer outras informações de maneira rápida e sem pagar a mais pelo serviço. 

Lembrando que a autenticidade é garantida por meio de uma assinatura digital, que garante a integridade de todos os documentos publicados. Se você precisa de ajuda com o Diário Oficial Eletrônico, como especialistas no assunto, nos disponibilizamos a ajudar sem custo algum, por meio de uma consultoria gratuita. Nosso intuito com software é mostrar a importância de um sistema no dia a dia de todos.