Existem diversas formas de se comunicar. Pode ser verbal ou não verbal, ou seja, por meio da escrita, sinais e até mesmo gestos. Acontece que a comunicação é extremamente importante, principalmente, quando estamos falando de algum líder, pois é por meio dessa figura que os processos e demandas acabam fluindo.

Isso acontece também na gestão pública, visto que, por meio das decisões do líder do município, os processos dão andamento. Porém, a comunicação tem que ser assertiva, para que não só os servidores, mas também a população entenda o que o representante quer dizer.

Levando em consideração que cada pessoa tem uma forma de receber a informação, é necessário que o emissor busque maneiras de ter uma comunicação mais efetiva. Por isso, separamos algumas dicas para que esse processo seja mais positivo.

  1. Conheça seu público: sempre quando você for se comunicar, planeje o que for falar, pois nem sempre a mensagem vai chegar da mesma forma para o público. Lembrem-se que neste quesito conta muito a escolaridade da pessoa, faixa etária, hábitos regionais e outras diferentes questões. 
  2. Direcione a mensagem: identificou seu público? Se a resposta for sim, prepare sua comunicação personalizada, para que esse grupo consiga reconhecer e entender a mesma da melhor forma. 
  3. Seja objetivo: quando há uma miscigenação do público, tente ser mais simples possível. Use palavras menos complexas e mais objetivas. Lembrando que quando a pessoa não entende o que você quer falar, ela acaba perdendo o interesse.
  4. Use o canal correto: procure os canais que você tem interesse e direcione a mensagem na linguagem ideal, até porque cada meio de comunicação tem suas características específicas e públicos segmentados.
  5. Mostre a solução: o foco da mensagem não pode ser negativo, apontando problemas sem mostrar a solução. Um bom gestor público sabe sim das dificuldades, mas entende que seu papel é apresentar os melhores caminhos.
  6. Use diferentes recursos: nem todas as pessoas entendem a mensagem com o mesmo tipo de comunicação. Nesse caso, é necessário que traga outras propostas como, fotos, vídeos ou apresentações digitais, para passar a mensagem.
  7. Fale a verdade: uma fala mentirosa, além de ser antiética, ainda pode ser facilmente percebida, o que destrói a parte verdadeira do discurso.
  8. Não prometa o que não pode cumprir: também é antiético, além de comprometer a continuidade da sua carreira. Os recursos tecnológicos estão ajudando as pessoas a lembrarem das promessas não cumpridas.

Sabemos que nem sempre vamos atingir todo o público desejado, porém seguindo as dicas citadas anteriormente, com certeza despertará mais engajamento das pessoas.