O mundo está cada vez mais digital, visto que, essa “atualização” repercutiu praticamente em todos os segmentos, como, na hora da compra ou pagamento de alguma fatura, hoje o indivíduo consegue marcar consultas por meio de aplicativos e até mesmo se consultar através da “Tele Medicina”. Então, a tecnologia está presente cada vez mais e em inúmeros processos, que até então não se pensava em outro método a não ser o tradicional, como é o caso das Assinaturas Eletrônicas e a Digitais. Com a evolução de ambas, proporcionou ao usuário ou empresas, sendo pública ou privada, possibilidades de otimização de processos e melhorias de técnicas.

Porém, quem acha que Assinatura Digital ou Eletrônica tem o mesmo significado, está muito enganado. Cada qual tem o seu propósito e a sua funcionalidade. Sendo assim, confira abaixo um pouco mais sobre cada uma e como elas podem agregar e aprimorar o seu dia a dia. A Assinatura Eletrônica, compreendeu que todos os tipos de empresas usam mecânicos eletrônicos com o intuito de validação, como as senhas alfanuméricas, SMS, Token e biometria. Outro ponto a ser destacado é que esse tipo de tecnologia, não necessita de um Certificado Digital, contudo, essa assinatura tem sua validade garantida pelo acordo entre as partes, ou seja, tanto o indivíduo, quanto a empresa tem que estar com o mesmo pensamento. É o caso quando o usuário solicita ao banco a Assinatura Eletrônica para poder manusear suas financias pelo aplicativo.

Já a Assinatura Digital tem um propósito diferente. Trata-se de uma tecnologia que utiliza a criptografia e chaves que se complementam entre si. Esse é um tipo específico de Assinatura Eletrônica e, seu uso requer a emissão do Certificado Digital em uma certificadora credenciada pelo ICP-Brasil. No entanto, as codificações são diferentes em cada assinatura, e qualquer tentativa de alteração no documento invalida a assinatura já fixada. Caso o usuário queira usar a Assinatura Digital, o mesmo precisa adquirir o Certificado Digital, emitido por uma instituição autorizada. Essa homologação tem validade de um a três anos e pode ser instalado em um dispositivo eletrônico.

Por fim, o principal intuito dessas tecnologias é a redução dos custos, mas as mesmas podem oferecer ao usuário o ganho de tempo e sustentabilidade, porque são realizadas sem papel e permitem a tramitação 100% no meio eletrônico, facilitando o envio e armazenamento de documentos.